quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Quem será o Campeão ?!
      
  Apesar do campeonato estar muito equilibrado, com cinco candidatos ao título, o campeonato está sem graça, está faltando algo e o que será?
     Quando fui ver o jogo Vasco x Santos, esperava um grande jogo. Um Vasco determinado, mas com personalidade de campeão. Mas me enganei, o show foi de Neymar e o resto do Santos.
     O Vasco não demonstra fome de vencer. Jogava como alguém que vai só para cumprir tabela. Nenhuma tática especial, vontade, nem improviso. Jogo sem encanto carecia o espírito de decisão.
     Ausente também logo no Corinthians, pressionado pela torcida para ter garra. O time do Corinthians era um time de "vídeo game". Previsível passes curtos, letárgico, sem sangue nos olhos.
       O Botafogo ficou embotado, Caio Jr. meteu os pés pelas mãos, a questão não é só tática ou de variação de esquema de jogo. Tensão na trupe: eles têm dificuldade em fechar. Deixam passar a bola da vitória.
     Ninguém vestiu a camisa de campeão, sempre acho que os aspectos psicológicos são mais relevantes que os táticos. Vale a pena a confiança, a determinação o espírito de equipe. O grupo tem que trabalhar o emocional e ser decidido quanto o que quer.
Maay Aveiro


quinta-feira, 10 de novembro de 2011

 Vitória com a cara de Campeão e aval do Mestre! 
    Era tudo ou nada! Pois é até que enfim Cristóvão Borges resolveu apostar tudo, afinal valia vaga para a semifinal da Sul-Americana. A torcia pedia, e o seu coração mandava. Valia tanto que até Ricardo Gomes, pois é o nosso Mestre foi até São Janú almoçar com o time passar confiança.
   Todos torciam contra, mas junto com o Vasco jogava o amor, a torcida, a confiança e a esperança. Nervosismo a flor da pele de ambos os lados, era o que faltava para dar motivação ao time para lutar pelo brasileiro.
   O jogo iniciou-se tenso, muitas faltas, muitos cartões e o Vasco chamando a responsabilidade, tentando dominar a partida afinal, o jogo começava 2 x 0 para eles, e o time não havia rendido o que esperava no final de semana anterior.
   Mas Dedé chamou a atenção aos 4 minutos tomando amarelo por indisciplina. Além de seu 100º jogo algo a mais esperava o melhor zagueiro do Brasil, e a história estava apenas começando a ser escrita.
   A partir daí, começou a sessão de amarelos para ambos os lados, indisciplina, erros de passes absurdos, times extremamente nervosos.
  A maior prova da ansiedade para resolver o jogo, foram os 4 primeiros gols e as tentativas frustadas. A primeira tentativa cruzmaltina foi com Élton aos 8 minutos com bola na trave, foi de enlouquecer qualquer um. Com o decorrer do tempo o jogo começou a ficar mais equilibrado, ambos os lados trabalhando os contra-ataques, os laterais trabalhando perfeitamente em sincronia e os goleiros não tinham muito trabalho.
  Aos 18 novamente Élton tentou, mas ainda não era o momento, algo a mais esperava pelo Vasco, algo especial, inimaginável. Mas tudo começou a se explicar num lançamento de Fágner, onde a bola passou pelo Élton, dando chance do goleiro chegar espalmando para os pés de Diego Souza que ao chutar o goleiro espalmou novamente, então neste bate rebate ele apareceu, Juninho Pernambucano na ora em que iria abrir o placar sofre falta e é Pênalti! Diego Souza tomou posse da bola e marcou como um belo camisa 10! Vasco 1 x 0!

 O caldeirão ferveu, só faltavam mais 2 gols para garantir a classificação. Mas meu querido, você sabe ão bem quanto eu, que nada para o Vasco é fácil, é tudo sofrido, tudo exige o máximo e neste jogo nada seria diferente!
 O Vasco criava mas não conseguia marcar, e nas faltas não marcadas deixava de ter a oportunidade de converter. Mas como nada sai como nós desejamos, numa falta que fora marcada Juninho não conseguiu marcar, o goleiro espalmou e contra-ataque do Universitário e com uma bola mal batida Ruidíaz encobriu Fernando Prass num gol vergonhoso, com a zaga aberta. Lembra que eu falei que nada era fácil? Agora falta 3 gols, mas se você pensa que isso era ruim, prepare o seu coração, muita emoção ainda vai rolar...
  O jogo permanecia estável, o Vasco criava mas não convertia. Ao encerrar o jogo, o juiz não havia marcado uma falta em Juninho Pernambucano, lance que deu origem a uma briga generalizada puxada por Gonzalez e defendida por Nilton.
  Bem como atitude disciplinar o juiz resolveu expulsar o Gonzalez e como não sabia que começou a briga pelo Vasco ele expulsou Diego Souza (que não tinha nada a ver com a briga), acho que o nosso time perdeu muito mais, mesmo com Bernardo no lugar de Felipe Bastos. Agora são 10 contra 10 e seja o que Deus quiser!
  Lembra que eu avisei para prepararem seu coração? Pois é chegou o momento! Retorno do intervalo, um escanteio para eles, Juninho ao tentar tirar arruma a bola de cabeça para Rabanal virar o jogo, contando que a bola bateu no joelho do Dedé! Haja coração como diria Galvão Bueno, a torcida ficou em estado de choque!
  Mas Dedé foi se redimir, seu 100º jogo não poderia ficar marcado por isso e ao sair com abola, driblando para dar o passe para Juninho lançar a bola para Élton. Goooooooooooooooooooool ! Aí começava a história do Dedé no jogo, afinal o Vasco é o time da Virada, o Vasco é o time do Amoor ♪

  Aos 12 minutos de zagueiro à atacante, Dedé fez a vez de Éder Luíz que acabara de sair para a entrada de Alecsandro, passando e driblando pela lateral-direita Dedé arriscou e marcou! A torcida enlouqueceu, Dedé foi com toda garra e amor, seu 11º gol em 100 jogos!

  Esse gol deu um gás a mais para o Vasco, tínhamos 30 minutos para fazer 2 gols e não tomar nenhum. Falta no Fágner e Rabanal foi expulso e Universitário perdia mais um, seguíamos com uma a mais!
 O tempo corria e o time foi ficando mais nervoso e não conseguíamos marcar até que Allan resolveu fazer um cruzamento e Dedé cabeceou perfeitamente para dentro do gol e agora faltava só mais 1 e 10 minutos para fazer!

  E o Vasco continuava arriscando com Bernardo, Alecsandro, Nilton... Mas nada é fácil se tratando do Vasco, Dedé aos 36 minutos já se achava um meia-atacante já que o time estava todo no campo adversário. E como um belo "atacante" ele arrumou a bola de cabeça para Alecsandro oportunista marcar o gol da classificação no levantamento de Juninho. E agora sim Vasco semifinalista da Sul Americana aos 38 minutos.

  Era este o momento de administrar o jogo? ERRADO! O time do Universitário ficou abalado, sem nenhuma perspectiva de marcar, o Vasco dominara todo o campo tentando ampliar o placar mais infelizmente não deu, o juiz ainda tentou ajudar o  Universitário aos 48 do segundo tempo, mas não deu, estava escrito. Vasco semifinalista da Sul Americana! Parecia difícil, mas não era impossível quando se tem Dedé no time!

  Há quem dizia que o Vasco não seria capaz! Que não iria conseguir! Aqui está a prova de que o gigante que estava adormecido, levantou-se mais forte do que nunca e está na briga seguindo o seu destinao até o final. #RUMOATRÍPLICECOROA!

Maay Aveiro

Deixou a desejaar ...

     Tinha tudo para dar certo, afinal todos achávamos que por ser rival do líder, o Santos ajudaria ao Vasco a prosseguir rumo a ponta da tabela.
      Antes do jogo ser iniciado, Dedé e Neymar eram amizade pura, pareciam velhos amigos. Apesar de ter declarado que o zagueiro cruzmaltino, foi o melhor marcador que ele já encontrou, ele não teve compaixão pelo Xerife.
      Logo no início da partida, Neymar disparou e Dedé na marcação fez falta, pois é como já era de se esperar gol do Santos. O time até que tentou, Diego Souza marcou mas a arbitragem invalidou o gol. 
    Além de Neymar e Dedé, a grande sensação do jogo era o retorno de Paulo Henrique Ganso, que tentava dar um show à parte dando passes, fazendo lançamentos, até perdendo um gol de cara com Fernando Prass.
    Mas o Vasco continuava tentando produzir, mas a bola não entrava, e como diria um velho ditado quem não faz leva. Em uma jogada de Neymar para o artilheiro do campeonato Borges marcou  2 x 0 Santos!
    Até que de tudo não foi tão ruim quanto parecia, afinal o Corinthians perdeu para o lanterna América-MG e tudo continua empatado lá em cima! 
Maay Aveiro

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Despedida ao Pai Santana!
        Nem sei como começar esta matéria, sinceramente não encontro palavras para fala de um homem que deu a vida pelo nosso time. Eduardo Santana, mais conhecido como Pai Santana dedicou mais de 50 anos totalmente ao Vasco, começou como lutador de boxe em 1946, quando o Vasco era uma das maiores referências do país na modalidade, depois começou como massagista do club na era do Expresso da Vitória, cuidou de atletas como Roberto Dinamite, atual presidente do club.
      Tendo passado tanto tempo dentro de São Januário, Pai Santana viu de perto todos aqueles craques e esses o devotavam com um enorme respeito, a ponto de que quando uma grave enfermidade atingiu esse patrimônio vascaíno na década de 90, os jogadores saíam de São Januário para visitá-lo no hospital. No tratamento dos jogadores, um mantra criado por esse ícone era repetido por eles na enfermaria: “Deus é vida, Vasco é amor, Pai Santana cura a minha dor”.
           No final de sua carreira no Vasco, Pai Santana imortalizou um gesto que executava toda vez que o time entrava em campo: ele desenrolava uma bandeira vascaína, a posicionava cuidadosamente no chão e ajoelhado a beijava. Era a senha para a torcida gritar seu nome. Em 2006 um derrame o afastou de São Januário, mas ele permanece como funcionário do clube, Uma homenagem mais do que justo a aquele que um dia disse a seguinte frase: "Se quando eu encontrar com Deus, ele me disser que é o maior vascaíno de todos, o pau vai cantar lá em cima”.


          Roberto Dinamite, muitas vezes cuidado por Pai Santana, esteve na Capela de Nossa Senhora das Vitórias, e despediu-se de uma das figuras mais ilustre do Vasco, declarando: 
         - Santana era um cara que conseguiu cativar a todos, conquistou muitos amigos e nunca vi falarem mal dele. Isso é o que vale. Ele se eternizou como o massagista mais conhecido, independentemente do clube. Foi muito importante para todos, se dedicava e sempre estava ao meu lado nos momentos mais difíceis.


        Dinamite também falou que o Vasco usará uma tarja preta no escudo durante os próximos jogos e que não planeja outra homenagem, afinal nada será de grande valia, visto o feito dele pelo time.
          Pai Santana ficará eternamente marcado em nossa memória e no nosso coração torcedor fiel, e hoje ao chorarmos pela perda deste ilustre vascaíno, cuja a lealdade jamais foi e será questionada! Descanse em paz Pai Santana, e continue olhando por nós e pelo Vasco !

domingo, 30 de outubro de 2011

Não deu desta vez ! 

      O jogo de hoje tinha o papel fundamental de deixar-nos a 3 pontos do vice-líder, mas não seria nada fácil. Afinal a fase do São Paulo não está nada fácil, recém eliminado da Sulamericana, sem Dagoberto, Luis Fabiano e Rogério Ceni, eles teriam que apostar tudo para não se distanciar muito do primeiro colocado. 
       Mesmo que em todos os jornais o Vasco fosse apontado como favorito, quem disse que achávamos a mesma coisa? Sem Diego Souza e Fágner, a vida seria difícil e muito difícil. Acredito que no futebol não haja favorito, todos os 11 jogadores que entram em campo possuem a obrigação de jogar para vencer pelo clube que defendem.
        O jogo começou pegado, o São Paulo não deixou brechas em nenhum instante, o Vasco tentava desenvolver mas Juninho e Felipe não conseguiam transpassar a marcação. Com o decorrer do tempo o jogo mostrou-se mais equilibrado, lá e cá a todo instante. Eles nervosos cometiam muitas faltas deixando o Vasco chegar fácil,  eles quase marcaram, só não contavam com Fernando Prass e Dedé, que estavam lá concentrados a espera da hora certa para dar o bote. Eles cresceram com o decorrer do jogo e começaram a pressionar o Vasco em sua área de defesa.
        Podemos chamar este jogo de: Jogo do Quase! E o Élton foi a vítima escolhida, ele ficou no quase por 3 vezes,  Allan, Nilton e Juninho Pernambucano 1 vez cada. Depois das jogadas do Élton o São Paulo dominou o jogo, com sua marcação cerrada o Vasco não conseguia desenvolver. O segundo tempo começou e o Vasco  continuava no quase. Allan como citado acima também ficou no quase só que antes num lance individual passou pelos marcadores como se não houvesse ninguém a sua frente pecando apenas na finalização.
      Nilton entrou no lugar do Juninho, por causa da panturrilha direita .. Preocupação a vista! Bernardo no lugar do Jumar era a solução para dar mais criatividade e velocidade ao jogo, sua função era simplesmente armar as jogadas, já que sem Diego Souza o Vasco não estava conseguindo produzir nada. Que falta faz o nosso camisa 10!
     Mas em falar nos desfalques que marcavam este jogo não podemos esquecer de Rogério Ceni, a torcida são paulina não tem do que reclamar, o goleiro Dennis representou muito bem a camisa 01. Espalmou o que seria gol do Juninho, Élton e Nilton deixando enfurecida a torcida cruzmaltina, parabéns ao São Paulo, sentiu menos os seus desfalques do que o Vasco, afinal Fágner também fez muita falta para Éder Luiz!
       Como sempre não pode ficar de fora a arbitragem que se não cometer um erro no mínimo em cada jogo, não seria a arbitragem brasileira, o árbitro da partida Ricardo Marques não marcou pênalti no Allan cometido por Juan ex-jogador do Flamengo aos 44 minutos da etapa final. 
       Pois é, como sempre não foi desta vez! Toda vez que o Vasco depende somente dele, deixa a desejar e de novo perdeu a liderança para o Corinthians!
     Mas fazer o que? CONFIAR ATÉ O FIM ... Vamos torcer e continuar a caminhada #RUMOAOPENTA!

Maay Aveiro

sábado, 29 de outubro de 2011

Valeu o ingresso e a vaga!

   Valia tudo e eles deram o seu máximo com direito até o grito de gol com a bola pelo lado de fora! Mas Bernardo não deixou a desejar marcou um golaço na garra aos 9 minutos da etapa inicial.
   Depois disso o Aurora tentou avançar mas o Vasco não descansou, Juninho fez um belo passe  para Alecsandro que inseguro não fez dando o contra ataque e dando o gol ao Aurora.
  Acredito que todo coração cruzmaltino naquele momento parou para refletir que a missão ficava cada vez mais difícil. Afinal 3 x 1 iria para os pênaltis e os ultimos retrospectos de penalidades máximas não foi muito bom, então orar, cruzar os dedos, e tudo mais valia para que os gols ocorressem.
    Alecsandro bem que tentou ia fazer um golaço. Depois de bola na trave o Aurora perde um jogador. Com 35 minutos o Vasco com um a mais e os jogadores do Aurora ansiosos! 
    Juninho bate a falta e Alecsandro marca 2 x 1. A partir daí todos os jogadores se duplicaram em campo na garra e na vontade e Alecsandro marcou novamente! 3 x 1 e encerra o primeiro tempo.
   Mal começou o jogo e o Vasco foi com tudo Leandro marcou o gol que pode e deve ser considerado: GOL DA CLASSIFICAÇÃO!
    Depois disso foi só administrar, Juninho ampliou com um pênalti!  A torcida do Aurora enlouqueceeu .. F. Prass, fez pênalti e eles converteram 5 x 2!
Bernardo aumenta o placar, Douglas deixou o seu primeiro gol desde a chegada ao clube. Aurora resolveu dar um susto marcado mais um 7 x 3! 
    Allan fechou o caixão e a torcida enlouqueceu, o caldeirão ferveu, e você viu o Vasco entrar para a história mais uma vez afinal não é a todo tempo que um time brasileiro mete 8 x 3 na Sulamericana correto? 


 E o Vasco segue em #RUMOATRÍPLICECOROA!

 
Imagem do Jornal: Lance!

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Um time que faz a alegria do Rio!
      Um time equilibrado com um bom conjunto e um espírito vencedor. Este é o ingrediente principal que vem fazendo a diferença a favor do Clube de Regatas Vasco da Gama, que volta à liderança do certame no momento de grande importância. A famosa “hora da verdade”, com os times da zona da Libertadores todos embolados, brigando pelo titulo. Mas para conseguir esse titulo, terá que passar por cima do time de Diego Souza, Dedé e Felipe. Felipe, aliás, que foi o elemento surpresa do time vascaíno, com um golaço e posicionamento que deu um nó no “mago” Joel Santana. Até então invicto diante dos cariocas. O Vasco, com propriedade, não tomou conhecimento dos baianos e pulou de volta para a liderança, com 57 pontos, dois a frente do Corinthians, que não passou de um empate com o Inter no Beira Rio. O DIÁRIO foi para as ruas falar com os torcedores e testemunhar a alegria dos vascaínos na tarde ensolarada de segunda feira.
       Com um time de bons volantes que sabem sair jogando, o Vasco montou uma “arapuca” para pegar Joel. O locutor Arthur Ricardo, da Rádio Terê FM era só alegria com o seu time na Calçada da Fama “Nosso time está voando e a gente tem que se aproveitar desse momento e até no domingo estaremos líderes”, orgulha-se o veterano radialista que é conhecido por ser vascaíno chato e que ainda desafia os flamenguistas “Nós vamos ser campeões, tetra campeões e atropelar o Flamengo na rodada final igual a um trator!”, provoca com um sorriso de líder. Já o empresário Dyego Turl exaltava a regularidade do time vascaíno “Nosso time não está oscilando como os demais. Não fazemos gracinha. Apenas o Vasco vem jogando sério”, pondera Dyego, com o estilo mais “low profile”, para depois completar “Está difícil do Vasco escorregar, afinal, em vinte partidas, o meu time só perdeu três. Tem uma defesa sólida e está acertando o ataque. Será campeão”, completa com confiança, com o moral do melhor do Rio no momento.
       Sem motivos para comemorar, mas sem deixar de lado o otimismo, o rubro-negro ainda confia na tradição da sua camisa para seguir com esperança no título. “Foi um jogo difícil devido aos muitos desfalques, o time do Santos é forte e até foi um bom resultado, dado as circunstâncias”, alega Rodrigo Delgado, garoto prodígio de 12 anos, para depois concluir “O importante é saber a hora de perder e depois engatar uma marcha boa, passar todo mundo e ser campeão brasileiro novamente”, sonha o mini-flamenguista que tem esperança na volta dos craques R10 e Thiago Neves para a próxima rodada, quando o Fla encara o Grêmio em Porto Alegre.
        Desfalcado e ferido dentro de casa estava o Fluminense no sábado, após o revés diante de um combalido Atlético Mineiro, que luta para não cair e surpreendeu o técnico Abel. O aposentado João Francisco de Aquino estava desolado “Claro que uma derrota dessas abate o nosso time. Agora só vai dar Vasco e o Fluminense vai ficar pra trás né?!”, lamenta João que busca algum consolo na sua outra torcida. A “anti-flamenguista”. “Mas tá bom o Vasco vencer. É o meu terceiro time. O que eu não quero é o Flamengo ganhando nada. Os flamenguistas são muito chatos e eu não aturo não. É preferível mesmo que o Vasco ganhe e o Fluminense consiga uma vaga na Libertadores”, completa seu João Francisco com um sorriso e inflamando uma rivalidade que traz desde os tempos de menino. O Fluminense vai até Fortaleza no sábado para encarar um desesperado Ceará no Estádio Presidente Vargas. O problema é que o time de Laranjeiras não costuma se dar bem contra os times que estão na famosa “Zona de Rebaixamento”. Mesmo problema que terá o Botafogo, que recebe o Cruzeiro, nervoso pela proximidade da “zona”, no Engenhão, também no sábado as 18h.

FONTE: SUPERVASCO.

domingo, 16 de outubro de 2011

Tinha uma lesão no meio do Caminho...
 No meio do caminho também tinha uma seleção!

Pois é quem diria hein, tudo estava prosseguindo tão bem, Juninho desenvolvendo super bem, uma zaga segura, um meio de campo preciso...
Mas retomando ao título: Tinha uma lesão no meio do caminho... Foi assim que perdemos o reizinho, isso foi um choque para todos nós! Ninguém esperava mais aconteceu, já estávamos sem o chefe que só volta em fevereiro, o maestro de fora a um tempo sem previsão de retorno e agora mais um líder em campo, não era a nova sensação.. Era um cara consagrado, com uma idade “avançada” e agora o que seria do time sem a “cabeça” do time?
Como se isso não bastasse havia um jogo pela Seleção Brasileira, e Mano havia convocado novamente Dedé, sem o zagueiro de referência o que seria da nossa zaga com Vitor Ramos e Renato Silva? Estávamos literalmente perdidos. Restava agora apenas pedir a Deus para que terminasse em empate ou para que a vergonha não fosse grande!
Sabíamos da realidade do time que estava em campo, mas em nenhum momento deixamos de acreditar, torcemos e pedíamos ajuda a Deus em todos os momentos, mas em pouco a realidade veio à tona!
Os buracos da zaga, o meio de campo não funcionava, as jogadas não davam certo e o Internacional se aproveitou desse momento e massacrou, tirando-nos da liderança. Mas isto não pode nos abater afinal nada na nossa vida foi e será fácil, tudo foi batalhado, foi suado, foi aguerrido e vai continuar sendo... Pois nós somos guerreiros e a vontade de vencer estará sempre conosco!

Maay Aveiro
Não foi desta vez...

 Jogo do Brasileirão, confronto direto, a chance de se distanciar 5 pontos do segundo colocado, três confrontos Rio-São Paulo para decidir as primeiras colocações.
Todos dois entraram em campo para atacar, a vontade de vencer era muito forte de ambos os lados.
Para quem jogava em casa, o Vasco tinha todos os fatores ao teu lado, casa lotada, a torcida empolgada, adrenalina a mil, time em excelente fase, um entrosamento, uma afinidade de se invejar!
Já o Corinthians, vem tentando se recuperar das ultimas rodadas, afinal foram os empates que os tirou da liderança!
Um jogo de muitas provocações iniciou-se equilibrado, mas logo o Vasco marcou para o delírio da galera, mas o Corinthians não se abateu eles sabiam da importância desse jogo... E empataram para a agonia do coração cruzmaltino.
Segundo tempo, concentração em nível máximo, a tensão foi aos poucos passando para a arquibancada, mas Fágner se encobriu de acabar com aquele clima, e com um belo gol explodiu São Janú, afinal todos comemoraram seja no banco de reservas ou na torcida, literalmente o Caldeirão ferveu!
Mas em pouco tempo, Alecsandro jogou água na lenha, ao tentar fazer uma bela jogada colocou em risco o contra-ataque que pegou a todos desprevenidos e lá se foi os dois pontos que nos isolaria na liderança...
Depois disso o Corinthians começou a sufocar afinal eles perceberam que isto mexeu com o psicológico do time. De nada adiantou, terminou empatado mesmo, pelo menos ainda estamos na liderança e assim vai o Brasileirão...
Todo jogo é uma guerra para que o nosso trabalho seja reconhecido, afinal faz muito tempo que nós não somos o melhor do Brasil nesse estilo... Chegou a hora!
Maay Aveiro

sábado, 15 de outubro de 2011

SeleVascão!

Fazia tempo que a Seleção Brasileira Não passava por São Januário, mas a fase do Club é tão boa e tão envolvente que ao passar por aqui levou três de uma vez só!
Dedé o melhor zagueiro do Brasileiro, por sua regularidade, força de vontade, com uma marcação forte que chamou a atenção de Mano Menezes por levar a sério o lema: “Sou brasileiro e não desisto nunca!”, pois para ele não existe bola perdida, para tudo se têm um jeito.
Rômulo, tem se mostrado um bom volante... Apesar de ter vindo da base, ainda tem muito que desenvolver, mas seu entrosamento para com a seleção foi excelente, se continuar assim será convocado novamente! Isso comprova que a sua titularidade no Vasco foi conquistada pelo seu profissionalismo, com sua regularidade e força de vontade de jogar e de estar ali. 
Diego Souza, depois de uma péssima temporada no Galo Mineiro tenta se recuperar no Club Cruzmaltino, a boa forma ajuda a mostrar que seu futebol está voltando, quando foi pra seleção de Dunga não demonstrou seu domínio pela bola e acabou saindo mal, agora que está brincando em campo, Mano lhe deu uma segunda chance, mas Diego fez por merecer. E já disse para o que veio!
Se continuar assim Mano Menezes não terá do que reclamar, afinal a SeleVascão vai de vento em polpa, passe para gol, marcação e montagem das jogadas? É tudo com eles mesmos. Vamos com tudo!

Maay Aveiro

terça-feira, 27 de setembro de 2011

      Boa fase de Diego Souza ... Segura a Liderança! 

      Diego Souza está em fase iluminada. Com mais uma bela atuação, na tarde deste domingo em Sete Lagoas, o camisa 10 do Vasco comandou a vitória sobre o Cruzeiro por 3 a 0, marcando nada menos que os três gols. O último, uma pintura com direito a lençol no goleiro Fábio. Foi a primeira vez na carreira que o meia balançou a rede em três oportunidades em uma mesma partida.
         Com a vitória, o time carioca pode adaptar uma nova versão da música "Ai se eu te pego", de Michel Teló, usada por Diego Souza para comemorar um dos gols da vitória. Com o empate entre Botafogo e São Paulo, no Engenhão, a fase está mais para "Ai você não me pega"... O Vasco segue na liderança isolada no Brasileirão com 49 pontos, agora dois na frente do Corinthians - que venceu o Bahia - e roubou a segunda posição do Tricolor. Agora, mesmo que o Alvinegro carioca vença o jogo adiado contra o Santos, o time cruz-maltino segue na liderança do campeonato, já que abriu quatro pontos de diferença na classificação.
         O Cruzeiro, que saiu de campo vaiado pela torcida, segue em crise. Com 29 pontos, está cada vez mais perto da zona de rebaixamento - são quatro pontos de vantagem sobre o rival Atlético-MG, time que encabeça a zona perigosa.
      Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Grêmio, domingo, fora de casa. Já o Vasco faz um jogo importante contra o Corinthians na briga pela liderança, em São Januário. No primeiro turno, o time paulista venceu por 2 a 1, no jogo que marcou a estreia de Juninho Pernambucano.
      Em situação difícil na classificação e pressionado pela torcida, que no sábado protestou na Toca da Raposa II por melhores resultados no Brasileirão, o Cruzeiro começou a partida em cima do Vasco. Com Montillo aberto pela esquerda e Vitor aparecendo bem nas subidas pela direita, foram duas chegadas perigosas nos primeiros minutos. O time carioca sentia muito a falta de Eder Luis, vetado com um problema muscular. Sem velocidade para sair no contra-ataque, o Vasco foi obrigado a mudar sua principal característica tática. Mas liderada por Juninho Pernambucano, a equipe passou a atacar trocando passes rápidos e curtos.
        Com 15 minutos de bola rolando, o Vasco equilibrou a partida. E começou a chegar até com mais perigo ao ataque. O time carioca arriscava mais chutes também. Era abrir um buraco para Fellipe Bastos e Juninho soltarem a bomba. Foram 12 finalizações cruz-maltinas no primeiro tempo contra apenas seis do Cruzeiro. Diego Souza foi responsável por quatro delas.
      Dos pés do camisa 10 vieram as melhores chances cariocas. Primeiro, em um passe primoroso para Márcio Careca, que entrou livre na área, mas chutou em cima do goleiro. Depois, em uma bicicleta que acertou o travessão. De cabeça, obrigou Fábio a uma defesa elástica. Mas aos 39 minutos, em uma linda jogada, Diego Souza finalmente conseguiu abrir o placar para o Vasco em um chute rasteiro. Na comemoração, uma dança que precisa de mais ensaio. Mas valeu pela animação. Sem muito jogo de cintura, o meia tentou alguns passos da música "Ai se eu te pego", de Michel Teló, acompanhado por Elton. 
      Com a vantagem do Vasco, a torcida do Cruzeiro começou a protestar. Porém, o time carioca marcava bem. Foram dez roubadas de bola contra apenas duas da Raposa nos primeiros 45 minutos. Os mineiros se resumiram a alguns lampejos de Roger. Pouco. O árbitro Fabrício Neves Corrêa anulou corretamente um gol do meia, que também perdeu uma ótima oportunidade de cabeça.
       Golaço para fechar a vitória
   Veio o segundo tempo, e o Vasco passou a jogar com a inteligência. Com um desesperado e desorganizado Cruzeiro tentando o empate no abafa, o time carioca tinha o controle da partida. Não demorou para Diego Souza, novamente, marcar o segundo gol carioca. Fagner surgiu pela direita e cruzou para o camisa 10 tocar de pé esquerdo.
      Com o 2 a 0, a torcida do Cruzeiro passou a vaiar o time. E a gritar olé quando o Vasco tocava a bola. Até mesmo Montillo, um dos destaques do Brasileirão, estava mal. Deu uma furada memorável na entrada da área. Lance raro de se ver em um jogador da categoria do argentino.
    A situação piorou ainda mais quando, aos 30 minutos, Marquinhos Paraná fez falta em Diego Souza para impedir o terceiro gol vascaíno. Como era o último homem, acabou expulso. O jogo estava resolvido, mas o camisa 10 queria mais. E fez um golaço. Passe de Juninho Pernambucano, lençol em Fábio e toque de cabeça para o gol vazio. Fase iluminada. Com direito a pedido de música no Fantástico.

Com o resultado, o Vasco chegou a 49 pontos, dois de diferença para Botafogo e Corinthians, que somam 47.

FONTE: SuperVasco
Quem diria ... E o Vasco é líder !

   É claro que todos os jogos são importantes, especialmente Botafogo x São Paulo, o confronto do segundo e o terceiro colocado, ambos respectivamente,a dois e um ponto do líder do brasileirão,o Vasco da Gama. Mas é deste que eu quero falar, não só por causa da partida com o Cruzeiro, na Arena do Jacaré, mas por este momento especialícimo vivido pela torcida cruz-maltina.
   Os resultados dos jogos, de um modo geral,têm sido tão surpreendentes, que não me arriscaria a fazer qualquer previsão sobre vitórias,derrotas ou empates de qualquer time incluindo o Vasco, cuja a carreira de líder tanto pode ir até o fim do campeonato, como nós, os vascaínos, desejamos, como pode terminar - ou mesmo ser provisoriamente interrompida - hoje em, Minas Gerais.
      Um vascaíno como eu, torcedor a quase 70 anos, já deveria estar acostumado com o sobe e desce do Vasco em sua História. Saboreei todos aqueles anos do Expresso da Vitória, sofri na década de 1960 com a distância vergonhosa que separava o nosso time, por exemplo, do Botafogo de Nilton Santos, Garrincha e Didi, até os altos e baixos que entraram pelo século XXI, inaugurando um novo período de humilhante preferência pelos baixos. Digo sempre aos amigos que estranham por que eu escrevo pouco sobre o Vasco pois é muito difícil escrever pisando em ovos, com medo de que o jogo seguinte se encarregue em desmoralizar meu eventual entusiasmo. Qualquer psicanalista de botequim entenderia tanta insegurança da minha parte.
      Mas, desta vez, seria insegurança demais não chamar a atenção para esta fase vascaína. Não garanto que nosso time será campeão, mas asseguro que faz muitos anos que o clube e o time não vivem uma fase tão boa. O vasco hoje é um reduto de paz e fraternidade, com a nossa comissão técnica e nosso jogadores proporcionando uma alegria e um sentimento de orgulho que fazia muitos anos que não sentíamos. É a primeira vez, desde que o Brasileirão passou a ser de pontos corridos, que o Vasco chegou ao primeiro lugar no segundo turno. Não sei por quanto tempo, mas chegou. Fazia muitos anos também que a Seleção Brasileira passava a milhares de quilômetros de distância do time do Vasco; hoje,temos três jogadores convocados.
    Todos os jogos do Brasileirão são difíceis,como ficou demonstrado no empate com o Atlético-GO. Portanto a partida de hoje,em Minas Gerais, é pra ser levada a sério, até porque o Cruzeiro sabe que uma derrota poderá conduzi-lo à zona de rebaixamento. Além disso, a informação enquanto escrevo é a de que o Vasco não contará com a eficientíssima ala direita, formada por Fagner e Éder Luis. E o Cruzeiro, a gente sabe, tem Montillo, que, no primeiro turno, foi responsável pela vitória do seu time em São Januário.
Em resumo continuo pisando em ovos com o Vasco.
Sérgio Cabral



sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Um jogo inesperado!

Querendo manter a liderança na mão o Vasco começou o jogo atacando com Fagner e não havia nem 3 minutos de jogo e já dava para perceber que o jogo seria tenso!
Élton também não ficou para trás aos 6 minutos tentou novamente, mas quem marcou no placar foi o Dragão com um jogo aéreo, Vitor Ramos deixou Anselmo subir sozinho pra cabecear e abrir Vasco 0 x 1 Atlético – GO.
A característica do jogo foi mudada, o Atlético começou a atacar, e o Vasco sem o xerife Dedé suspenso, mas a animação veio com Diego Souza, o maquinista do Trem bala que após um excelente jogo na ultima rodada foi convocado por Mano Menezes pra jogar na seleção, resultado Diego marca para o delírio da torcida, que fez a arquibancada tremer de uma forma descomunal... Empate e a liderança na mão novamente!
Na traaaaaaaaaaaaaave! Diego Souza animado com a situação cabeceou, mas a bola não entrou, para levantar a torcida enlouquecida na arquibancada, que tentou de todas as formas levar o time para frente.
Cruzes, mas que olho grande!
Primeiro Éder Luís se machucou sozinho, agora Fagner seria substituído perdemos o lado direito todinho e a velocidade do time se fora, agora o time se concentrava todo no meio com Bernardo e Allan. Com certeza foi uma perda de grande escala, pois no sentido emocional também atacou, afinal precisávamos nos distanciar o máximo possível do segundo colocado São Paulo, entretanto o time estava bem marcado, Diego Souza e Juninho sem espaço o suficiente, as bolas paradas não eram convertidas para desespero do torcedor que esperava a vitória e para os jogadores que queriam uma folga na tabela. Saí daqui olho grande!
O Vasco tem que abrir o olho, afinal a arbitragem também nos prejudicou, entretanto reclamar não vai alterar em nada. Estando ou não errados, temos que fazer a nossa parte sem contar com os outros afinal o Botafogo tem um jogo a menos e se vencer o Santos vira líder.. Então atenção: Todo cuidado é pouco!
Maay Aveiro
O combustível do Trem-Bala!

Neste Campeonato Brasileiro o Vasco tem se comportado de maneira exemplar. Mesmo tendo conquistado a Copa do Brasil, a equipe de São Januário não se acomodou e agora segue em busca do Pentacampeonato Brasileiro e da Sul-Americana... e aí, quem segura o "Trem-Bala da Colina"?
   A história do Vasco esse ano é bem engraçada: depois de um dos piores inícios de Campeonato Carioca de sua história, o time deu a volta por cima, ganhou a Copa do Brasil e lidera o Brasileirão. Em pouco mais de 8 meses, nós, vascaínos, fomos do inferno ao céu, e agora estamos um passo à frente de nossos rivais.
   Não existe segredo para esse sucesso. A montagem de um elenco sólido -- que, mesmo não sendo o melhor do país, possui diversas alternativas -- é um ponto a favor. Outro ponto é o time mesclado, que conta com a experiência de jogadores como Juninho Pernambucano e Felipe, e o  talento de novos valores, como Dedé e Romulo.
Além disso, tem jogadores diferenciados, como Diego Souza e Eder Luis, que, mesmo inconstantes, podem decidir a favor do Vasco.
   Mas, para mim, o principal combustível desse trem é o seu comandante. Ricardo Gomes implantou um estilo mais audacioso, que condiz com a  tradição de títulos do Vasco. O time joga com o padrão por ele implantado e, mesmo sem estar à beira do campo, percebemos que seu pupilo Cristovão segue os ensinamentos do Mestre e mantém a equipe jogando um futebol bonito, sério e objetivo. E agora, feito "mosqueteiros", o lema é "Um por todos e todos por Ricardo!"
Força, Comandante Ricardo. O Trem-Bala te espera para comemorar as glórias do presente e do futuro.
                                                   Guilherme Silva (RJSports)
Como fazer história...

Ser campeão requer um número X de pontos e só. Nos pontos corridos, onde a emoção é homeopática, é bem comum você ter um campeão sem uma grande história pra contar. Não me deixa mentir o São Paulo, no melhor estilo Imperatriz Leopoldinense da década de 90, onde ganhava e ninguém lembrava.
Nos pontos corridos basta "errar pouco". E aí que mora a burrice, pois no futebol o importante é  acertar mais, ousar mais, brilhar mais. É isso que garante uma grande história pra contar. E é isso que não sugerem os pontos corridos. Como sempre digo, campeão ganha do vice. E se não ganha, não é um grande campeão.
Fazer história nesse tipo de campeonato é um tanto quanto complicado. Sem "o jogo", "o gol", "o gol do título", a história fica pobre.
Mas eis que surge um candidato a mudar tudo isso em 2011. Não por ser dono de um futebol espetacular, pois não é. Mas por ser candidato a protagonista de um campeonato sem precedentes.
Campeão da Copa do Brasil que joga o Brasileirão levando a sério. Algo raro, incomum, coisa de gente grande.
Time que, com vaga na Libertadores, segue pensando em título e não faz uso do discurso nojento de "pensar no ano que vem", como se a Libertadores anulasse o Brasileirão.
Time de um zagueiro diferente. Time de um volante diferente. Time que ressuscita um craque no meio, que resgata seu passado recente com Felipe e Juninho.
Time em paz com a torcida, se livrando de uma imagem nojenta que carregou por anos e anos através de seu ex-presidente. O Vasco odiado por todo o país vai virando, aos poucos, o Vasco rival de todos.
Do técnico rejeitado que virou celebridade. Do técnico que, em campo, em imagem forte e que marcará história no futebol, sofreu um AVC e quase nos deixou.
Da campanha que atingiu rivais e vascaínos, unidos na corrente pela vida de Ricardo.
Da desconfiança do time "sem comando" às vitórias que o colocaram na liderança.
Do interino que segue a linha do professor, que nem sabe se volta a trabalhar.
De todas as histórias possíveis de um campeão em 2011, nenhuma é tão rica quanto a do Vasco.
Faltam algumas rodadas; a liderança hoje não diz nada. Mas se há uma história para ser contada nesse Brasileirão até aqui, é a do Vasco.
E se essa história será "a história do campeão" ou não, só o tempo dirá.
                                                  Página do Rica (RJSports)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Um ídolo Animal...


     Edmundo começou a carreira no Vasco (clube ao qual considera seu time de coração), entre ele, o clube e a torcida têm uma identificação sobrenatural que poucos jogadores possuem afinal no Brasil importa-se mais o dinheiro. Apesar de ter passado por vários clubes rivais como Flamengo, Corinthians e Santos a única torcida que veio a se identificar com o Animal foi a torcida alviverde. 
   Edmundo ganhou esse apelido do narrador Osmar Santos, por possuir um temperamento forte e indisciplina no campo, fatores que pra muitos é inaceitável e que eu considero como personalidade forte afinal o que nos encanta nos jogadores é o seu caráter e Edmundo nunca deixou a desejar neste ponto, sempre muito decidido passava por cima de tudo pra conseguir o que desejava. 
  Sempre alvo de muita polêmica, pelo Vasco fez coisas inacreditáveis, perdeu pênalti pelo Cruzeiro, Palmeiras... No Flamengo, Fluminense e Corinthians não conseguiu demonstrar aquele futebol, não adianta tentar forçar porque se fosse jogar contra o Vasco ele não desenvolvia uma vez no Cruzeiro ele fez a seguinte declaração: 
   “Tomara que não faça gol. Se acontecer vai ser por puro profissionalismo. Mas não haverá comemoração, porque não posso comemorar derrotas minhas, como torcedor vascaíno.” 
       Como pode um cara que tinha tudo pra ser super profissional, ter fama por um futebol espetacular por onde passava conseguir ser fiel mesmo estando longe ainda mais num país como este onde o dinheiro é a “solução” para tudo, ele não se vendeu jamais. No Brasil, apenas Marcos do Palmeiras e Rogério Ceni do São Paulo tem este tipo de personalidade que para a conquista dos torcedores é essencial, eles passam uma confiança que é indescritível. 
     Pessoas como eles, fazem nós torcedores acreditarmos que o futebol pode sim ser feito de amor pelo clube, nos fazem sentir respeitados, percebi que eu me tornei mais fanática depois que vi que o Edmundo não estava nem aí para o que os outros ele queria apenas jogar futebol pelo clube que ama e provocar os rivais e não estava nem aí para as conseqüências. A partir desde momento (1997), descobri qual era o real motivo por todos os vascaínos idolatrarem aquele cara debochado em campo, me identifiquei com suas atitudes e virei sua eterna fã. Edmundo obrigada por despertar esse amor tão grande que eu sinto pelo Vasco, você me ensinou que por ele podemos e devemos passar por cima de tudo e de todos! 
Maay Aveiro


terça-feira, 20 de setembro de 2011

A Dama do Vasco...


     Dona Dulce Rosalina é um exemplo de mulher ao qual me identifico muito, vascaína desde criança adorava ir aos jogos do clube, em 1956 foi convidada para chefiar a Torcida Organizada do Vasco – TOV, na época foi um fato realmente inédito, afinal todas as torcidas eram chefiadas por homens, ela só ficou reciosa com o jeito que os homens receberiam as mulheres nas arquibancadas, mas deixou o coração falar mais alto e enfrentou tudo de cabeça erguida.
      E se impondo foi muito bem recebida e respeitada por todos, inclusive torcedores dos times adversários. Dulce Rosalina foi essencial para o desenvolvimentos das torcidas organizadas, pois além de animar a torcida, trouxe a bateria, papel picado, serpentinas e trazia muitos associados para o clube auxiliando no seu desenvolvimento.
       Em 1960, numa eleição promovida pela Revista do Esporte, ela derrotou Jayme de Carvalho do Flamengo e Eliza do Corinthians ficando com o título de torcedora nº 1 do Brasil. Em 1976 por causas das eleições ela fundou uma nova torcida a Renovascão, porque ela apoiava Medrado Dias que não ganhou a eleição e pra não ficar contra a TOV ela resolveu sair.
      Dulce Rosalina ofereceu muito ao Vasco em troca de “nada”, seu amor pelo Vasco era algo belo, idolátrico, imorredouro a intensa e admirável veneração ao clube a que de todo se entregou. 
       Em uma entrevista ela disse: 
          “Pensei em trabalhar, desempenhando atividades no comércio ou na indústria; todavia, concluí que seria desperdiçar energia. Poderia ficar impossibilitada, por exemplo, de participar intensamente da vida do meu Vasco, como venho fazendo, e não sei se suportaria privar-me da maior alegria de minha vida, que é estar sempre à sua disposição.”
      Só tenho que agradecê-la cada dia mais e mais, pois se não fosse essa sua vontade e determinação hoje em dia as mulheres não seriam respeitadas no estádio, é verdade que ainda se tem muito o que mudar, mas só de podermos ir aos jogos sem ouvirmos brincadeiras de mal gosto já é uma grande vitória que foi conquistada a muitos anos por uma mulher que resolveu se entregar ao seu grande amor.
Obrigada Dona Dulce Rosalina, a torcida cruzmaltina agradece tudo o que fizeste pelo Vasco!
Maay Aveiro





Gigante das Américas
           
       Há tempos os clubes se perguntam: O que tem que se fazer para ser Campeão da América no centenário? Afinal... poucos conseguem!
        O torcedor vascaíno sabe que pode se orgulhar, pois além de ser TOP1 da América foi no mês e ano de seu centenário, época que todos gostamos de celebrar e relembrar...


Recordar é Viver!

         A expectativa para o ano do centenário era tão grande, que no ano anterior Edmundo fez polêmica e nos consagrou Campeão Brasileiro e isso nos deu o passaporte direto para a tão sonhada Libertadores das Américas e como estávamos na era campeã fomos campeões graças ao gol de falta do Juninho que nos colocou na final da Taça Libertadores no monumental. Tinha início a grande festa vascaína que viria a coroar a trajetória gloriosa do time cruzmaltino.
      Antônio Lopes como era de se esperar foi um grande professor, soube utilizar os jogadores em campo como um jogo de xadrez, colocou as peças certas, para dar o xeque mate, nos dando uma final antecipada contra o River no monumental tirando o reizinho do banco para marcar e a torcida foi à loucura e até hoje ele é reverenciado com o canto: “Vou torcer ‘pro’ Vasco ser campeão / São Januário, meu caldeirão / Vasco a sua glória é a sua história / É relembrar, o Expresso da Vitória / Contra o River Plate, sensacional / Gol do Juninho, monumental".
         Aquele time era sensacional que saudade que dá! Tínhamos Mauro Galvão, Carlos Germano, Pedrinho, Donizete, Luisinho, Felipe, Nasa, Alex Pinho, Juninho entre outros, era um time sem igual fazendo uma campanha que não deixou nenhuma dúvida da competência do time: Foram 14 jogos, 7 vitórias, 5 empates e 2 derrotas (na primeira fase), 17 gols marcados e 8 sofridos.
         Na comemoração não poderia faltar àquela provocação básica e no desfile no carro do Corpo de Bombeiro a idéia de passar em frente a Gávea foi sensacional, afinal nós merecíamos tudo o que estava ocorrendo com o time a fase era muito boa pra todos e um título desta grandeza numa época tão especial é no mínimo emocionante.
       Então hoje nós só temos que agradecer aquele time que se empenhou tanto para nos levar a um momento tão sublime como este, que nos fez ser únicos e enquanto essa façanha não for realizada por nenhum outro clube nós vamos nos orgulhando e batendo no peito prosseguindo o caminho de um campeão...

Maay Aveiro




domingo, 18 de setembro de 2011

O jogo da liderança ! 

Seguindo o lema: Levanta a bunda do sofá e vá ao estádio! São Januário estava lotado, com a torcida empolgada, dando apoio desde o início.
E isso deu efeito após belas jogadas tentando invadir a defesa do Grêmio, Éder Luís  furou o bloqueio e aos 4 minutos Élton marcou dando início a goleada ...
Mas pensando que as coisas iriam facilitar o Grêmio resolveu correr atrás do resultado e o Vasco ficou tentando utilizar os contra-ataques para ampliar o resultado e deu mais uma vez certo! 
Afinal a parte Rômulo dava o seu show e mostrava pra todos os que se perguntavam o porque ele foi convocado, que como cria do Vasco ele sim tem muito o que oferecer a Seleção, afinal pode-se dizer que foi o melhor 1º tempo dele na temporada. Falando em fazer um excelente jogo, Felipe Bastos deu um lançamento na medida estilo o seu xará e Diego Souza mostrou o porque ele é o nosso camisa 10, a jogada de mestre do Bastos fez se livrar do Edcarlos e marcar o segundo e desencadeou o trem bala!!!
 E com isso o jogo ficou mais pegado, e a cada minuto o Vasco ia se soltando mais e mais, sem deixar espaços, marcando bem, pode-se afirmar que foi o melhor 1º tempo da temporada tanto relacionado ao time quando em individualismo.
Ao contrário do que já era de se esperar (porque o Vasco sempre faz isso), eles dessa vez não quiseram cadenciar o jogo, o Vasco partiu pra cima como se ainda estivesse 0 x 0, mas Diego Souza, Fagner e Éder como sempre se entendem muito bem ficou ruim pro Grêmio... Diego lançou para Fagner que serviu Éder e ampliou o placar .. Que jogo magistral!
O Grêmio até que tentou se reforçar mas Diego Souza mais uma vez mostrou o porque ele foi contratado, fez  a diferença servindo Fagner que ampliou o placar.
E assim ficou... Vasco 4 x 0 Grêmio!
E o trem bala pegou a liderança e assim continuamos #RUMOAOPENTA!


Maay Aveiro